Pesquisa

Não existem registos

Não existem registos

Não existem registos

Depressão

 

Depressão

 

Vença a Depressão! Nós ajudamos.

 

 

A depressão é uma doença que afeta 124 milhões de pessoas em todo o mundo. Em Portugal, estima-se que um em cada cinco portugueses estejam afetados por esta doença.

 

É uma das principais causas de incapacidade para o trabalho.

 

Ainda há muitas pessoas com depressão que não estão a ser tratadas.

 

Vamos conhecer melhor esta doença.

 

A depressão é uma doença psiquiátrica que causa grandes limitações na vida diária e provoca perda de anos de vida saudáveis. Apesar de ser bastante frequente, muitas vezes não é reconhecida pelos doentes e familiares e por isso não é tratada.

 

Frequentemente inicia-se entre os 24-35 anos em ambos os sexos. Tem-se verificado um aumento de casos em adolescentes e adultos jovens.

 

Os doentes com depressão são mais dependentes, apresentam menor rendimento pessoal e profissional e faltam mais ao trabalho. Verificam-se frequentemente situações de descuido pessoal e diminuição de adesão a tratamentos instituídos. O prognóstico de outras doenças é agravado pela presença de depressão (por exemplo, doentes com enfarte agudo de miocárdio vivem menos se apresentarem também depressão). Há uma diminuição franca da qualidade de vida destes doentes.

 

 

Qual é a causa da depressão?

 

Pode haver várias causas. Poderão contribuir fatores genéticos e haver uma tendência familiar. Por outro lado, há fatores físicos importantes, como alterações hormonais, doenças do sistema nervoso, infeciosas ou oncológicas, ou medicamentos que podem também contribuir. As relações, em especial com os pais ou educadores ao longo do desenvolvimento, e outros fatores sociais poderão também influenciar, por exemplo situações de desemprego, perda de um familiar ou outros acontecimentos traumáticos.

 

 

Estarei em risco de vir a ter depressão?

 

Há situações em que há maior risco de desenvolver esta doença: a história pessoal ou familiar de depressão; o sexo feminino (mais frequente nas mulheres do que nos homens); o divórcio, viuvez ou separação, especialmente no sexo masculino; acontecimentos de vida negativos no ano anterior (especialmente situações de perda ou perda precoce de um dos pais); o período após parto (especialmente durante o primeiro ano de vida do filho).

 

 

Será que estou deprimido?

 

É normal haver períodos de maior tristeza. Os sintomas associados à depressão são a tristeza, choro fácil, baixa autoestima e falta de interesse em atividades de que se gostava, quase todos os dias, durante a maior parte do dia, durante um período de duas semanas ou mais. Mas pode haver também sintomas físicos como dores de cabeça, dores de costas ou dores generalizadas, que afetam mais de metade dos doentes.

 

 

Qual é o tratamento da depressão?

 

  • Alteração do estilo de vida – alimentação saudável e variada e prática de exercício físico (boletim março);
  • Psicoterapia – permite adquirir técnicas para enfrentar os problemas, corrigindo o padrão de pensamentos negativos e adaptando-se melhor às situações;
  • Medicamentos (antidepressivos) – é um tratamento que geralmente tem a duração de vários meses e é necessário continuar alguns meses depois de se sentir bem. Não deverá suspender nem alterar o tratamento sem indicação médica.

 

 

Quando me vou começar a sentir melhor?

 

Apesar do início do tratamento, os antidepressivos demoram cerca de duas a quatro semanas a fazer efeito. Pode, no entanto, ser necessário aumentar a dose, adicionar outro medicamento ou substitui-lo. É importante manter um acompanhamento regular com o seu médico.

 

 

Estes medicamentos têm efeitos laterais?

 

No início do tratamento é frequente haver efeitos laterais a nível digestivo, que passam com a continuação do tratamento. Fale com o seu médico sobre efeitos laterais que possa estar a sentir para poder ser ajudado mas não pare sem conselho médico a medicação.

 

 

Dicas úteis:

 

  • Não afaste os amigos e familiares, vão ser uma peça fundamental para a sua recuperação. Rodeie-se das pessoas de quem gosta e que gostam de si;
  • Partilhe os seus sentimentos, falar sobre a doença poderá ajudá-lo a sentir-se melhor;
  • Cuide de si, inicie uma atividade que goste (música, dança, pintura, desporto), ocupe o seu tempo de forma saudável. Aproveite para descansar e evite situações de stress ou desconforto.
  • Evite consumir álcool e outras drogas, agravam a depressão e interagem de forma perigosa com os antidepressivos.

 

Folhetos da Depressão aqui

 

 

Vou ficar doente para sempre?

 

As notícias são boas! A maioria dos casos, se for tratada adequadamente, resolve com sucesso!