Pesquisa

Não existem registos

Não existem registos

Não existem registos

Terrores noturnos e pesadelos na criança

 

São transtornos que ocorrem durante o sono, são frequentes na infância entre os 3 e 8 anos. Normalmente são transitórios e desaparecem antes da adolescência. Em determinadas ocasiões devem-se a alguma doença ou febre elevada.

 

Os pesadelos são sonhos que produzem medo, terror, ou angústia. Costumam apresentar-se na segunda metade da noite. A criança costuma acordar e lembrar-se do que estava a sonhar (perseguições, fantasmas, monstros). Podem ser provocados por contos de terror, pelos programas violentos de televisão ou cinema e também por situações que criam ansiedade.

 

Os terrores noturnos são episódios de despertar brusco nos quais encontramos a criança sentada na cama gritando ou a chorar com grande angústia. Está agitado, suado, e a sua cara expressa temor. A criança não está completamente desperta e não reconhece ninguém. Se se consegue despertá-la, não sabe o que ocorreu. Também não se recordará de nada de manhã. Os terrores produzem-se durante as primeiras 3-4 horas de sono. Costumam associar-se a períodos de stress ou tensão emocional.

 

O sonambulismo produz-se também na primeira metade do sono. A criança acorda parcialmente e começa a caminhar de forma atrapalhada pela casa e a realizar ações ou atividades habituais (brincar com a roupa, esfregar os olhos). Tem o olhar perdido, e se lhe falar, possivelmente não lhe irá responder. É difícil acordá-la, mas, se o conseguir, não saberá o que lhe aconteceu e não se lembrará de nada de manhã.

 

Terrores noturnos e pesadelos na criança

 

 

O que deve fazer?

 

  • Não se preocupe; estes transtornos costumam desaparecer com o crescimento da criança, sem fazer nada.
  • A criança não deve ver programas e filmes violentos. Não lhe dê bebidas com cafeína (coca-cola, ice-tea).
  • Deite a criança sempre à mesma hora. Deve dormir o suficiente.
  • Mantenha uma rotina diária todas as noites ao deitar, por exemplo: fazer xixi, pôr a criança na cama, contar uma história ou manter uma conversa curta, dar as boas noites e despedir-se, apagar a luz e sair do quarto. Em alguns casos pode deixar uma luz débil acesa ou a porta do quarto aberta.
  • Não administre medicamentos para dormir à criança, que não sejam prescritos pelo seu médico.
  • Se tem pesadelos, tranquilize-o, fale-lhe com voz calma, dê-lhe segurança. Fique com ele até que esteja mais calmo.
  • Se tem terrores noturnos não o acorde. Tranquilize-o com frases simples e deite-o com cuidado, sem brusquidão.
  • Se a criança é sonâmbula, não o acorde. Dê-lhe ordens simples e guie-o com muito cuidado até à cama. Não lhe grite nem o agarre de maneira violenta. Deve prevenir os acidentes, retirando objetos perigosos ou com os quais possa cair, feche as portas com chave e as janelas com fecho. Se dorme em beliche, deve fazê-lo na cama de baixo. Não faça com que tenha vergonha ou se sinta culpado por ser sonâmbulo.

 

Terrores noturnos e pesadelos na criança

 

 

Quando consultar o seu médico de família?

 

  • Se os pesadelos são diários durante mais de 1 semana ou impedem de descansar bem durante a noite.
  • Se os terrores noturnos ou sonambulismo são muito frequentes ou não desaparecem na adolescência. Se lhe nota alterações do comportamento durante o dia.

 

 

Excerto do Guia Prático de Saúde - da semFYC (Sociedad Española de Medicina de Familia y Comunitaria)

Traduzido e adaptado pela APMGF (Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar), julho 2013.