Pesquisa

Não existem registos

Não existem registos

Não existem registos

Pacemaker. O que é e de que cuidados precisa?

 

Um pacemaker cardíaco é um pequeno aparelho metálico que produz impulsos elétricos inofensivos que fazem com que o coração se contraia. É do tamanho de uma caixa de fósforos e não provoca rejeição. Coloca-se mediante uma pequena operação com anestesia local. Introduz-se debaixo da pele abaixo da clavícula.

 

O pacemaker tem uns cabos que através das veias chegam ao coração. A bateria ou pilha do pacemaker dura entre 6 e 12 anos; não se preocupe porque a necessidade de mudar a pilha deteta-se com muita antecedência aquando das revisões periódicas.

 

Os médicos colocam pacemakers quando o coração está muito lento ou quando pára de bater durante alguns segundos ou se existe perigo de que estas situações aconteçam.

 

O pacemaker. O que é e de que cuidados precisa?

 

 

O que deve fazer?

 

  • Leia com cuidado a folha de precauções que lhe entregarão quando lhe derem alta. Leve sempre consigo o cartão com as características do pacemaker.
  • Deve comparecer a todas as revisões que lhe indicarem. A primeira passado um mês, as outras cada 6 meses.
  • Pode fazer desporto sem problemas (correr, nadar, bicicleta, etc).
  • Pode conduzir automóveis, mas, a cada 2 anos, precisa de um atestado informativo do cardiologista.
  • Durante 1 ou 2 meses depois da colocação do pacemaker, deve evitar movimentos violentos com o braço do lado onde foi colocado o pacemaker e não deve carregar muito peso.
  • Pode ter relações sexuais normalmente.
  • Sempre que realize um exame, um tratamento, ou vá ao dentista, avise que tem um pacemaker.

 

O pacemaker pode alterar-se por influência de alguns aparelhos:

  • Situações às quais não deve expôr-se:
    • Ressonância magnética nuclear; correntes de onda curta para tratamento de dores; alguns tipos de radioterapia; vitrocerâmicas frias (de indução); equipamentos de soldadura e campos magnéticos industriais.
  • Situações em que se deve ter precauções:
    • Tratamentos com laser, se as aplicações forem perto de pacemaker; litotrícia (tratamento usado para quebrar cálculos renais); operações com bisturi elétrico; outros tipos de correntes para tratamento de dores; algumas técnicas usadas por dentistas. Os telemóveis são seguros, mas convém utilizá-los e levá-los no lado contrário ao pacemaker.
  • Situações em que não há problemas:
    • Eletrodomésticos elétricos, incluindo microondas e vitrocerâmicas quentes; comandos à distância; telefones fixos e sem fios; equipamentos detetores de armas e explosivos, como os utilizados em aeroportos; mantas elétricas e radiografias (raios X).
  • Se tiver dúvidas do seu correto funcionamento, deverá medir a pulsação, para comprovar que não está inferior à que estava programado no pacemaker.

 

O pacemaker. O que é e de que cuidados precisa?

 

 

Quando consultar o seu médico de família?

 

  • Se notar que a zona onde foi colocado o pacemaker está avermelhada, sente calor ou dor, ou a pele está enrugada ou tem febre. São indícios que podem indicar infeção.
  • Se tiver dúvidas sobre qualquer situação apresentada pelo pacemaker.
  • Se tiver desfalecimentos / desmaios, se notar falta de ar, pulso lento, inchaço nos pés ou uma dor no peito. Estes sintomas podem indicar um mau funcionamento do pacemaker.

 

 

Excerto do Guia Prático de Saúde - da semFYC (Sociedad Española de Medicina de Familia y Comunitaria)

Traduzido e adaptado pela APMGF (Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar), julho 2013.