Pesquisa

Não existem registos

Não existem registos

Não existem registos

A criança que não come

 

A partir dos 2-3 anos o ritmo de crescimento das crianças desacelera, pelo que necessitam de menor quantidade de alimentos e portanto têm menos vontade de comer. Em muitas circunstâncias esta mudança pode causar preocupação aos pais, que querem que o seu filho se alimente bem para que cresça saudável. Esta situação é muito frequente e os pais devem saber que esta etapa de falta de apetite é passageira e não tem consequências para a saúde do filho.

 

A criança que não come

 

 

O que deve fazer?

 

  • Procure que o seu filho não note a sua preocupação ou angústia.
  • Dê-lhe uma dieta variada e nutritiva e deixe que ele regule a quantidade que necessita para se alimentar. Se algum dia comer pouco ou inclusive não comer quase nada, não se preocupe, porque compensará em outra refeição.
  • É importante comer sempre no mesmo local e evitar que as crianças se distraiam com a televisão ou com os brinquedos.
  • Fixe os horários e distribua a comida em 5 refeições por dia: pequeno-almoço, meio da manhã, almoço, lanche e jantar. Se não comer numa das refeições, espere pela seguinte sem perder o ritmo dos horários.
  • Evite que coma entre as refeições.
  • Dê um bom exemplo à mesa e deixe que o seu filho o imite. Sempre que possível, a criança deve comer com os pais para aprender os hábitos e as condutas adequadas de alimentação, como estar sentado, não brincar com a comida e utilizar os talheres. Como norma geral deve comer o mesmo que os pais comem.
  • A hora da refeição deve ser agradável. Inclua a criança na conversa durante a refeição, fale da escola ou de temas que lhe interessem.
  • Elogie os procedimentos corretos e felicite-o quando comer bem, mas não o premeie por isso, pois pode favorecer que a criança utilize a comida para obter o que deseja.
  • Apresente a comida de forma atrativa aos olhos. Sirva a refeição num prato grande, para que pareça pouca quantidade. Dê-lhe pequenas quantidades para que possa comer com segurança. Poderá sempre repetir depois.
  • Se não comer, não o obrigue nem o castigue, muito menos lhe dê outra comida diferente.
  • Introduza os novos alimentos a pouco e pouco, ao início da refeição, quando a criança tem mais fome. Às vezes é necessário dar várias vezes o prato novo antes que a criança o prove. Se houver alguma comida que realmente não goste, não devemos dar-lha, desde que não se negue a comer grupos completos de alimentos (verduras, frutas).
  • Limite a refeição a 30 minutos; passado esse tempo retire o prato sem lhe ralhar nem fazer comentários sobre a quantidade que comeu. Se algum dia precisar de mais tempo, seja flexível.
  • Evite o consumo de guloseimas, pastéis, chocolate, bolos, batatas fritas, amendoins e refrigerantes açucarados: são uma causa muito frequente de falta de apetite.
  • O desporto e a atividade física aumentam o apetite.
  • A falta de apetite nesta idade não é uma doença; não lhe dê medicamentos para ter mais apetite. Tenha paciência.

 

 

Quando consultar o seu médico de família?

 

  • Se tem dúvidas e quer assegurar que o seu filho está saudável.
  • Se o seu filho tem outros sintomas como perda de peso, febre, diarreia, cansaço.
  • Se se sente angustiado.

 

 

Excerto do Guia Prático de Saúde - da semFYC (Sociedad Española de Medicina de Familia y Comunitaria)

Traduzido e adaptado pela APMGF (Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar), julho 2013.