Pesquisa

Cuidar dum Doente com Demência

 

A demência é o resultado da destruição das células cerebrais. Produz perda de memória, dificuldade em fazer as tarefas diárias, problemas na fala, desorientação, alterações do humor e da personalidade. É uma doença que avança de forma lenta, alterando a vida de quem sofre dela e de todos os que o rodeiam.

 

A Doença de Alzheimer é a causa mais frequente de demência. Diagnostica-se através dos sintomas, com a ajuda de testes e outros exames.

 

Cuidar dum Doente com Demência

 

 

O que deve fazer?

 

  • Informe-se. Conhecer a doença ajudará a enfrentar melhor o presente e a planear o futuro. À medida que a doença avança nas suas diferentes fases, necessitará de mais conhecimentos para entender e cuidar do doente.
  • Não precisa de tratar sozinho do seu familiar doente. Necessitará de ajuda da sua família, amigos, profissionais de saúde, assistentes sociais e voluntariado, entre outros.
  • Coloque-se em contacto com o seu Centro de Saúde e com a Associação de Familiares mais próxima.
  • Na fase inicial há uma perda gradual da memória. O doente trata de si próprio mas tem esquecimentos frequentes, alguma desorientação, problemas na linguagem e existem coisas que já não é capaz de fazer. Tem alterações de carácter, medos e desconfianças. Nesta fase tenha em conta o seguinte:
    • Compreenda-o e incite-o a fazer os exercícios de memória.
    • Procure que seja autónomo.
    • Estabeleça normas de segurança em casa.
    • Não discuta com ele, não o contrarie. Ele não faz as coisas com intenção de o aborrecer.
    • Planeie as responsabilidades relacionadas com o dinheiro, com a herança, etc.
  • Na fase intermédia, o doente perde a sua autonomia e necessita de ajuda. Fala mal, não sabe cuidar-se, não reconhece os familiares e, às vezes, comporta-se de forma estranha e incorreta:
    • Mantenha a rotina diária e evite as mudanças de qualquer tipo.
    • Conserve os passeios diários e mantenha-o integrado, dentro do possível, no seu círculo familiar e social.
    • Aumente a segurança, vigie a saúde e cuide da alimentação.
    • Aprenda a manejar os problemas do seu comportamento. Lembre-se que estes são devidos à doença e que não reage assim porque quer.
  • Na fase avançada a dependência é total. O doente não reconhece os seus conhecidos, não fala e apenas se move.
    • Deve saber a forma de lhe dar de comer, de fazer a higiene, de o movimentar na cama, etc.
    • O doente reconhece o afeto. Acaricie-o, sorria-lhe e mostre-lhe o seu carinho por ele.
  • Saiba que para cuidar dele, também tem de se cuidar:
    • Procure ajuda. Descanse. Disponha de tempo livre. Mantenha o seu círculo de amizades.
    • Aceite as mudanças que ocorram.
    • O que está a fazer é muito valioso para o doente, não se sinta culpado quando alguma coisa falhar.

 

 

Quando consultar o seu médico de família?

 

  • Esclareça com o seu Médico de Família, Enfermeira, Assistente Social, as dúvidas, medos e outros problemas que vão surgindo.
  • Se, como cuidador do doente, apresenta nervosismo, irritabilidade, insónia, fadiga ou problemas físicos.

 

 

Excerto do Guia Prático de Saúde - da semFYC (Sociedad Española de Medicina de Familia y Comunitaria)

Traduzido e adaptado pela APMGF (Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar), julho 2013.