Pesquisa

Conselhos de saúde para viajar

 

Se pensa fazer uma viagem ao estrangeiro planeie-a antecipadamente. Deve ter em conta que se vai expor a novas condições ambientais, o que, associado à fadiga e ao stress, pode fazê-lo adoecer.

 

Os riscos são diferentes consoante o destino e a duração da viagem, o tipo de alojamento e higiene dos alimentos consumidos, o comportamento do viajante, a sua idade e estado de saúde.

 

Conselhos de saúde para viajar

 

 

O que deve fazer?

 

  • Vacine-se: tenha em conta que se vai expor a doenças que não existem no nosso país, pelo que deve proteger-se. O seu médico de família, informá-lo-á sobre as vacinas recomendadas, atendendo aos locais que for visitar e ao tipo de viagem. Algumas destas vacinas só são dadas nos centros de vacinação internacional. Deve começar a vacinação 4 semanas antes de iniciar a viagem para que o seu organismo fabrique as defesas adequadas.
  • A Malária ou Paludismo está muito espalhada, e como não se dispõe de vacina, tem que se tomar terapêutica profilática que deve ser iniciada pelo menos uma semana antes de partir, tomada durante toda a estadia e continuada mais 4 semanas após o regresso.

 

Durante a viagem

 

  • Tenha cuidado com os alimentos e bebidas: nas viagens internacionais, a diarreia é a doença mais frequente. Ainda que o grau de risco dependa de muitos fatores, em caso de dúvida é recomendado tomar uma série de medidas preventivas: evite os legumes crus e as saladas; as carnes e peixe devem ser consumidos bem cozinhados; coma a fruta sem casca; tenha cuidado com os pasteis e os gelados, porque se contaminam facilmente; não consuma leite nem os seus derivados se não estiverem devidamente preparados; evite o marisco cru (amêijoas, conquilhas, etc.); beba apenas água engarrafada aberta na sua presença, não admita pedras de gelo.
  • Cuidado com o sol: evite exposições prolongadas, especialmente ao meio dia. Proteja-se com chapéu e óculos de sol e utilize cremes de proteção solar.
  • Cuidado com as doenças infeciosas: a SIDA, a hepatite B e outras doenças sexualmente transmissíveis existem em todos os países do mundo. Se tiver contactos sexuais utilize preservativo. O material para tatuagens, acupunctura ou piercings pode estar contaminado e transmitir doenças. Se tiver de receber uma injeção, assegure-se de que as seringas e as agulhas sejam descartáveis e não tenham sido utilizadas.
  • Cuidado com os mosquitos: se vai a uma zona com malária, utilize roupa de manga comprida e calças compridas. Evite sair ao anoitecer e amanhecer. Aplique repelente nas zonas expostas do corpo. Utilize inseticidas nos quartos. Se as janelas não tiverem rede mosquiteira, feche-as. Não se esqueça de tomar a medicação para a malária e consulte o médico no caso de febre, sudação ou arrepios.

 

No regresso

 

  • Mantenha a terapêutica anti-malárica até um mês depois do regresso. Complete as doses de vacinas em falta.

 

 

Quando consultar o seu médico de família?

 

Algumas doenças podem manifestar-se muito tempo após o regresso. Se se sentir mal ou tiver febre, recorra ao seu médico de família e informe-o da viagem realizada.

 

 

 

Países com risco de Paludismo

 

Países com risco de Paludismo

 

 

Excerto do Guia Prático de Saúde - da semFYC (Sociedad Española de Medicina de Familia y Comunitaria)

Traduzido e adaptado pela APMGF (Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar), julho 2013.