Pesquisa

Sofre de Fibrilhação Auricular?

 

A fibrilhação auricular (FA) é uma arritmia. Ocorre quando o coração bate num ritmo desordenado e rápido.

 

É a arritmia mais comum. A sua frequência aumenta com a idade. Algumas pessoas têm esta arritmia permanentemente.

 

A FA pode dever-se a doenças do coração. Por exemplo, alterações das válvulas cardíacas, hipertensão arterial, doença coronária e angina de peito. Também pode ser causada por doenças não cardíacas: infeções, doenças da tiróide, respiratórias, etc.

 

O sintoma mais frequente é a sensação de palpitações. Mas pode não ocorrer desconforto e, nestes casos, a FA descobre-se por acaso.

 

Sofre de fibrilhação auricular?

 

 

O que deve fazer?

 

  • Evite os fatores desencadeantes:
    • Há pessoas sensíveis a algumas substâncias estimulantes. Quando as tomam desencadeiam-se episódios de FA.
    • Evite o álcool.
    • Evite a cafeína, ou seja, o café, o chá e as bebidas com cola.
  • Evite comer em excesso.
  • Controle as suas doenças:
    • Se é diabético, controle o açúcar do seu sangue.
    • Conheça a sua pressão arterial. Se tem hipertensão arterial, siga as indicações do seu médico. Evite o excesso de sal.
    • Controle o seu peso.
    • Deixe de fumar.
    • No caso de sofrer uma doença da tiróide, siga o tratamento indicado pelo seu médico.
    • Se tem insuficiência cardíaca, cumpra o seu tratamento.
  • Siga as recomendações do seu médico e tome a medicação como ele a indicou. Se toma anticoagulantes (Sintrom®, Varfine®) tome às horas certas. Estes medicamentos necessitam de controlo laboratorial.
  • A medicação é necessária para evitar que o coração bata muito depressa e para prevenir possíveis complicações, como a trombose cerebral (acidente vascular cerebral).

 

Sofre de fibrilhação auricular?

 

 

Quando consultar o seu médico de família?

 

  • Quando, apesar do tratamento, não se encontrar melhor ou os sintomas se agravarem.
  • Perante qualquer problema relacionado com o tratamento.
  • Em caso de FA intermitente, se notar sintomas semelhantes a outros episódios.
  • Recorra a um serviço de urgência ou chame o 112 em caso de:
    • Dificuldade em respirar.
    • Dor no peito.
    • Desmaio ou perda de consciência.
    • Debilidade intensa.

 

 

Excerto do Guia Prático de Saúde - da semFYC (Sociedad Española de Medicina de Familia y Comunitaria)

Traduzido e adaptado pela APMGF (Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar), julho 2013.