Pesquisa

Anorexia e Bulimia

 

A anorexia nervosa e a bulimia são duas doenças em que as pessoas que delas sofrem têm um medo obsessivo de ganhar peso.

 

A pessoa que tem anorexia come muito pouco e de forma seletiva, faz exercício e tende a usar laxantes ou diuréticos para perder peso.

 

Na bulimia, a pessoa tem compulsão para comer, geralmente às escondidas, ou quando está sozinha. Ao terminar, sente-se mal e culpada, e então vomita e tenta evitar o aumento de peso, não comendo mais, fazendo exercício físico ou tomando laxantes e diuréticos.

 

Deves ter presente que NÃO são manias, nem mau comportamento, mas sim doenças psiquiátricas que necessitam ajuda especializada.

 

São mais frequentes em raparigas adolescentes.

 

Se notas que cada vez estás mais preocupado com a tua alimentação e em perder peso; se evitas a comida, ou comes e depois vomitas; se fazes muito exercício para perder peso, então podes ter um problema de anorexia e bulimia.

 

Anorexia e bulimia

 

 

O que fazer?

 

Pede ajuda

 

  • Pensa que tens um problema. O mais difícil é dar este passo, reconhecer que tens um problema e solicitar ajuda.
  • Comenta o que se passa contigo com os teus amigos e pessoas da tua confiança.
  • Não te sintas com culpa ou vergonha. Trata-se de um transtorno mental que pode resolver-se, mas deves receber o tratamento adequado.
  • Recorda que as pessoas que superaram esta doença agradecem depois a insistência dos seus pais e amigos em procurar ajuda.

 

Informações para os familiares

 

  • Devem pensar que o seu filho/a pode ter anorexia ou bulimia se tem algumas das seguintes atitudes ou condutas:
    • Nervosismo às horas da refeição. Fraciona a comida, deixa sistematicamente comida no prato.
    • Evita determinados alimentos. Controla as calorias de cada produto.
    • Evita comer em família e em sítios públicos.
    • Vai frequentemente à casa de banho depois de comer.
    • Faz muito exercício para perder peso.
    • Desaparece comida da cozinha. Aparece comida nos bolsos e em diferentes lugares da casa.
    • Tem mudanças de humor (tristeza, irritabilidade, etc.), ou de personalidade.
    • Distancia-se dos amigos e familiares.
    • Tem muito interesse pelo mundo da moda, dos modelos e dá excessiva importância à aparência física.
  • Explique honestamente que suspeita que sofre de um transtorno alimentar. Conte-lhe o que tem observado, não lhe prepare «armadilhas»; não se trata de ver quem ganha.
  • Se o seu filho não admite que tem um problema, não o ameace nem force, procure a mediação de algum profissional (como o seu médico de família).

 

 

Quando consultar o médico de família?

 

  • Se o seu filho/a diz que quer comer, mas só come saladas, deixa de comer ou evita comer com outras pessoas.
  • Se nota uma mudança de personalidade do seu filho, como retrair-se ou a centrar-se muito em si mesmo.
  • Se apesar de estar realmente magro continua a perder peso.

 

 

Excerto do Guia Prático de Saúde - da semFYC (Sociedad Española de Medicina de Familia y Comunitaria)

Traduzido e adaptado pela APMGF (Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar), julho 2013.