Pesquisa

Automedicação

 

Saber cuidar da saúde de nós mesmos e dos que nos rodeiam é importante e necessário. Há muitos problemas de saúde agudos com sintomas leves (constipação, tosse, dor, etc.) ou crónicos (reumáticos, artroses, etc.) cujo tratamento não farmacológico deve conhecer-se. Também pode tomar medicação sintomática (para a febre ou dor) se o seu médico o informou corretamente de quando e como utilizá-la; falamos de automedicação responsável.

 

Quando a toma de um fármaco é por iniciativa própria ou por conselho de outra pessoa, sem informar ou consultar o seu médico, falamos de automedicação irresponsável.

 

A automedicação irresponsável provoca múltiplos erros e implica um risco grave para a sua saúde. As consequências mais importantes são: danos diretos pelo fármaco, interação com outros que já esteja a tomar, ocultamento de doenças, deterioração de doenças pré-existentes e resistência aos fármacos.

 

O que deve fazer?

 

  • Fale com o seu médico sempre antes de tomar um fármaco que não está indicado na receita. Deve saber que em Portugal há muitos medicamentos de venda livre em farmácias sem receita. Estes fármacos não estão livres de riscos. Se está a tomar outros medicamentos ou tem outras doenças associadas, deverá também indicá-lo.
  • Não aceite medicamentos aconselhados por familiares ou amigos. Não sabe o motivo exato pelo qual o médico os receitou. O que lhes faz bem a eles pode não atuar de forma igual em si.
  • Se sofre com frequência de sintomas de doenças já conhecidas e diagnosticadas (dores de cabeça, dor de olhos, etc.) peça ao seu médico que o informe sobre a possibilidade de se automedicar responsavelmente e sobre quando contactá-lo.
  • Se pensa que os seus sintomas precisam de medicação com receita (como, por exemplo, antibióticos, tranquilizantes, etc.) deve consultar o seu médico.
  • Antes de se automedicar deve ter sempre uma correta informação do seu médico.

 

Quando consultar o seu médico de família?

 

  • Se o seu médico lhe receitou um medicamento, mas:
    • tem dúvidas sobre como o utilizar
    • estiver ou puder estar grávida ou a amamentar
    • estiver a utilizar corretamente o medicamento indicado pelo seu médico, mas não estiver a melhorar no tempo previsto
    • Antes de tomar qualquer fármaco que o seu médico não lhe tenha receitado.
    • Se estiver a utilizar medicamentos de venda livre e os seus sintomas não melhorarem, cuidado, pois pode estar ocultando outra doença. Para além disso existem doenças (de estômago, abdominais, náuseas, dores de cabeça, etc.) que podem manter-se pela toma continuada de certos fármacos.

 

 

Excerto do Guia Prático de Saúde - da semFYC (Sociedad Española de Medicina de Familia y Comunitaria)

Traduzido e adaptado pela APMGF (Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar), julho 2013.