Pesquisa

Cuidados ao idoso acamado

 

Um paciente acamado é aquele que não consegue deslocar-se completamente sozinho e permanece a maior parte do tempo na cama. Esta situação pode dever-se a muitas causas de gravidade diferente.

 

A colaboração da família é essencial, ainda que por vezes possa não ser suficiente e ser necessária ajuda externa.

 

Tem importância especial a prevenção das úlceras de pressão ou «escaras». São habituais em pacientes acamados. Aparecem em zonas da pele submetidas a pressão, sobretudo nos calcanhares, tornozelos, ancas e sacro.

 

 

O que deve fazer?

 

  • Ajudá-lo a sentir-se uma pessoa útil. Estimulá-lo para que faça o que conseguir sozinho (comer, higiene, etc.). Se for possível sentar-se, é conveniente que o faça pelo menos 2 horas de manhã e 2 à tarde. Incentive-o a mover-se na cama, utilizando corrimãos ou outros dispositivos. Se não se conseguir sentar, é aconselhável mover-lhe os braços e as pernas.
  • Mantenha a pele limpa, seca e hidratada. Lave-o com água morna e sabão neutro, minuciosamente, e enxugue sem esfregar. Uma vez por semana é aconselhável um banho completo. Proteja a pele da zona da fralda com pomadas com óxido de zinco. Não utilize pó de talco.
  • Mantenha a boca limpa. Utilize pasta de dentes ou soluções de água oxigenada, em partes iguais. Use creme de cacau para os lábios.
  • Mantenha o quarto bem ventilado, com boa luz e uma temperatura moderada.
  • A cama convém ser alta, dura e larga, e a roupa de cama, limpa, seca e sem rugas. Não utilize plásticos para proteger o colchão.
  • Avalie com o seu médico a necessidade de utilizar um colchão de ar (colchão de pressões alternadas) ou uma cama articulada.
  • Procure um ambiente de normalidade. Um tratamento cordial vai tranquilizar o doente. Às vezes este sente medo e angústia. Convém que tenha ao lado da cama um sistema fácil de chamada da família (sineta, campainha, etc.).
  • Procure que as refeições sejam atrativas, equilibradas e ligeiras. Se o doente tiver problemas em mastigar faça-as em forma de puré ou papas. Um bom aporte de líquidos, preferencialmente de dia, frutas, legumes, verduras e cereais ajuda a combater a prisão de ventre.
  • Mude-o de postura cada 2 a 3 horas. Uma vez por dia verifique se as zonas de apoio (calcanhares, tornozelos, ancas e sacro) estão avermelhadas; se assim for, mude-o de posição mais frequentemente. Aprenda com a sua enfermeira a forma de dispor as almofadas segundo a posição do corpo, para diminuir a pressão.

 

 

Quando consultar o seu médico de família?

 

  • Em caso de agitação, desorientação e confusão do doente, ou se este tiver um comportamento estranho.
  • Se o doente tiver febre.
  • Se apresentar rigidez das articulações.
  • Se tiver a pele avermelhada ou pensar que vai aparecer uma «escara».
  • Se o notar cansado.
  • Se você tiver dúvidas, se sentir cansado, ou pensar que não consegue tomar conta do seu familiar como gostaria.

 

 

Excerto do Guia Prático de Saúde - da semFYC (Sociedad Española de Medicina de Familia y Comunitaria)

Traduzido e adaptado pela APMGF (Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar), julho 2013.