Pesquisa

Rótulos dos alimentos. O que deve ter em atenção

 

 

As etiquetas informam-nos sobre os produtos com que se fabricam os alimentos, como e quando se devem consumir e alguns dados do seu fabrico.

 

Podemos dividir a informação da etiqueta em duas partes:

 

  • Parte obrigatória: inclui a relação de ingredientes que compõem o alimento.
  • Parte voluntária: inclui a informação nutricional. É obrigatória nos alimentos que afirmem ter alguma propriedade nutricional específica. Pode fazer-se de duas maneiras:
    • versão simples: indica o valor energético e a quantidade de proteínas, hidratos de carbono e gorduras.
    • versão detalhada: inclui além disso informação sobre o conteúdo de açúcar, ácidos gordos saturados, fibras e sódio. Também pode fornecer dados sobre outros componentes, como vitaminas e sais minerais.

 

As quantidades apresentam-se por cada 100 g ou 100 ml do produto. Também deve incluir a dose diária recomendada (DDR) de cada mineral e vitamina para uma alimentação equilibrada.

 

 

O que deve fazer?

 

Utilize a etiqueta nutricional para escolher, entre produtos semelhantes, o mais interessante do ponto de vista nutritivo.

 

Siga os seguintes bons conselhos nutricionais:

 

  • Cereais: quanto menos açúcares simples (glicose ou sacarose) melhor.
  • Bebidas refrescantes: quanto menos açúcares simples melhor.
  • Bolos e bolachas: são preferíveis os que contêm menos gorduras. Evite «gorduras animais» e «gorduras vegetais». É melhor o azeite e o óleo de girassol.
  • Leite: Verifique a gordura e a riqueza em cálcio. Pode ser uma forma de aumentar o aporte de cálcio na sua dieta, se esse for um conselho do seu médico.
  • Carne: escolha as carnes que tenham menos gordura, menos sal e mais proteínas.
  • Sopas: escolha as que têm menos sal e as mais ricas em proteínas.
  • Pratos preparados: os mais recomendados serão os mais pobres em gorduras, com menos sal e mais ricos em proteínas.
  • Em geral, opte pelos alimentos com menos aditivos e corantes.

 

Convém não se afligir com os cálculos, nem pretender compor uma dieta equilibrada fazendo uso da etiqueta nutricional.

 

É importante conhecer o que come para se poder corrigir no caso da sua dieta não ser equilibrada e variada.

 

 

Quando consultar o seu médico de família?

 

  • Se tem dúvidas na sua alimentação.
  • Se pretende uma dieta alimentar especial (Diabetes, Colesterol, Hipertensão, etc.).
  • Se deve evitar um determinado nutriente ao qual é intolerante ou alérgico (ovos, produtos lácteos, glúten, corantes, etc.).

 

 

Excerto do Guia Prático de Saúde - da semFYC (Sociedad Española de Medicina de Familia y Comunitaria)

Traduzido e adaptado pela APMGF (Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar), julho 2013.